terça-feira, 21 de dezembro de 2010

Exames de contole: OK


Falei no último post que iria fazer alguns exames, aqueles, de controle, que toda vez que vamos fazer ficamos com um medinho escondido lá no fundo da coração, mas que também sentimos uma enorme esperança de que tudo corra bem. Graças a Deus fiz os benditos e como eu já espera DEU TUDO CERTO! Estou limpa!, como diria uma viciada em drogas. Nem uma celulazinha suspeita, nada, nada. UUfaaaaaaaaaa! Um alívio e ao mesmo tempo uma alegria profunda de saber que estarei aqui por mais um tempo e cheeeeeia de saúde. Obrigada, obrigada, obrigada, nunca deixarei de agradecer! Passei pela ginecologista, que confirmou recentes sinais de ovulação (o que indica que estou completamente NORMAL, posso ser mamãe um dia...). Depois fui ao radioterapeuta, que ficou muito feliz com os resultados dos meus exames, disse que o pouco que restou dos sinais da rádio em meu corpo provavelmente ficariam assim. Só para esclarecer, nos locais onde foram feitas as radiações ficou uma mancha mais escura, que com o sol podem escurecer mais rápido do que outras partes do corpo que não sofreram radiações. O importante é que ele me liberou para tomar um solzinho (sempre com muito protetor, principalmente nos locais afetados) e, o melhor, me liberou para a reconstrução definitiva. Por fim, retornei à minha querida médica Drª. Patrícia (oncologista) para levar os resultados dos exames, o que nos deixou muito felizes e saí de lá radiante, também liberada por ela para a reconstrução definitiva e com o propósito de só voltar lá agora em março (daqui a uns três meses) para mais uma rodada de exames de controle ou depois que tiver feito minha cirurgia. Após essa correria de médicos, exames, trabalho e estudos, nada melhor do que uma semaninha de recesso do trabalho. Como sempre, fugi pra chácara, meu refúgio de paz. Agora, cá estou, tentando colocar o blog em dia e aproveitando para responder a todas as pessoas queridas que estão sempre me acompanhando e me desejando coisas boas, para as quais eu também sempre torço e não deixo de acompanhar e rezar para que tudo dê certo, assim como vem dando para mim. Não sei se escreverei antes do dia 25, portanto, desejo um FELIZ NATAL para todas essas pessoas lindas que me acompanham, torcem por mim e que acreditam, assim como eu, que a forma de pensar muda tudo. Temos que tentar ser positivos mesmo nas dificuldades (nada disso impede de chorar, berrar e gritar assim que sentimos necessidade para tal), acreditar que tudo é possível, porque é, deixar as lembranças ruins para trás, porque um dia elas só serão lembranças, e levar de tudo sempre o mais positivo que aquela situação poderia ter te ensinado. Beijos especiais a todas as minhas amigas de blogs e outro mais especial ainda para Martha (por favor, passe seu e-mail)! Paz, prosperidade, união, amor e saúde! Energias positivas sempre!
P.S.: vou tirar fotos novas para postar aqui e mostar como anda evolução do meu cabelo.

sábado, 30 de outubro de 2010

Notícias...


Esta semana fui à ginecologista. Demorou um mês desde a marcação até a consulta, e para minha sorte/azar, menstruei de novo um dia antes da tal consulta. Por este motivo, não fiz todos os exames necessários, mas já me foi pedido uma ecografia transvaginal que já tem data marcada para ser realizada. Quero saber como anda meu sistema reprodutivo, que pelo visto, está funcionando bem, afinal, menstruei mês passado e este mês. Bom demais!

Esta semana, também marquei consulta com a oncologista, que deve me passar mais um punhado de exames de controle. Depois disso, irei ao radioterapeuta e espero, se Deus quiser, que ele me libere para a reconstrução definitiva, assim como a oncologista. Também espero realizar a cirurgia em meados de janeiro, fevereiro.

Minha pele, passados mais ou menos quatro meses da radioterapia, está bem melhor. Poucas partes ainda estão um pouco escuras. Geralmente onde existem dobras. Pelo caminhar, acho que poderão sumir um dia. Espero.

No mais, ando trabalhando muito, estudando muito e planejamento meu casório, que será bem simples e provalmente vai rolar depois do meio do ano que vem, estamos pensando na data. Só quero (ou melhor, queremos) que que seja simples, porém, inesquecível. Paz, tranquilidade e amor... é isso que queremos. Passamos a enxergar a vida com outros olhos. É nas coisas mais simples que vemos o verdadeiro valor da vida!

P.S.: me desculpem a demora para postar, a correria está grande... graças a Deus!




domingo, 17 de outubro de 2010

Desceu!

Nossa! Estou muito feliz! Muitas mulheres vão achar que estou doida, mas outras, que me entendem e passaram pelo que eu passei, também vão achar ótimo: menstruei! Uhuuuuu! Depois de um ano. Minha médica disse que poderia demorar até um ano e meio. Sinal de que meu corpo está voltando ao normal, sinal de que está tudo voltando a funcionar. Pela primeira vez, fiquei feliz em menstruar. Estava com saudades de tudo isso, cólica, absorvente, tpm... opa! Este último acho que não estava com tanta saudade assim, afinal, sintomas parecidos senti há pouco tempo, quando estava no meio da minha menopausa precoce. Aliás, não me lembro se falei sobre isso antes, mas ela passou e eu nem percebi. Aos poucos os sintomas foram sumindo. O calorão foi o pior deles. E de pensar que um dia, se Deus quiser, pois ainda tenho muita vida pela frente aqui nesta existência, passarei por esta loucura toda de menopausa de novo. Pelo menos, já estarei preparada e andarei com um ventilador portátil na bolsa. Para quem não entendeu tamanha felicidade, por causa de uma simples menstruação, vou explicar: durante a quimioterapia, geralmente a mulher para de menstruar, pois para de produzir óvulos por conta do tratamento, o que pode deixá-la infértil por um determinado tempo, e em muitos casos pode até ser para sempre. Com medo desse "para sempre" tomei algumas precauções, talvez até precipitadas, por terem sido tomadas em meio à correria de tempo - congelei um ovário, utilizando uma técnica chamada de criopreservação, para ter mais uma possibilidade de engravidar, caso aquele "para sempre" de que falei acontecesse. Quem quiser saber mais pode ler em: LEIA AQUI (no cantinho à direita) no tópico CONGELAMENTO DE OVÁRIO I E II - lá eu conto na época os acontecimentos. É bom falarmos sobre isso novamente, pelo fato de que muitas mulheres não sabem dessas possibilidades e até o que a quimioterapia pode ocasionar. Além do congelamento de ovário, que ainda é uma técnica experimental e com poucas garantias de sucesso, existem outras opções, como o congelamento de óvulos ou até do embrião, que são técnicas mais eficazes. Eu não tinha tempo para tentar essas outras opções, por isso optei por congelar um ovário. Para as mulheres que ainda não tiveram filhos como eu, saber dessas possibilidades e poder pensar e escolher alguma delas para garantir um futuro rebento é de muita importância. Agora é só aguardar o dia da consulta com a minha ginecologista, fazer os exames necessários, torcer para que tudo continue fluindo da melhor forma, e aguardar mais um tempinho para começar a tentar ser mamãe um dia. Mais uma vez, só tenho a agradecer.
E o outubro, é rosa!

domingo, 12 de setembro de 2010

A Babosa e o câncer - reportagens de Dráuzio Varella

Semana retrasada, dia 5.9.10, foi exibida pelo programa Fantástico uma reportagem do médico Dráuzio Varella, na série “É bom pra quê?”, que discute o que é mito e o que é verdade sobre fitoterápicos usados na medicina popular. Neste episódio, ele discutiu os efeitos da babosa no tratamento de câncer. Euzinha ouvi váaaaarias pessoas me dizerem que era para eu usar a babosa, que essa planta era boa pra combater o câncer. Depois da reportagem, fiquei em dúvida sobre a eficácia da planta, também chamada de Aloe vera. Até hoje, tem um pote na minha geladeira de uma “vitamina” feita com a polpa da babosa. Tomei poucas vezes, porque o gosto é muito ruim. E me lembrei que, em algumas dessas vezes em que usei, estava em fase de quimioterapia. Os efeitos dessa interação foram tratados na reportagem por terem consequências perigosas. Veja alguns trechos:


A babosa pode causar efeitos colaterais bastante sérios. Pode ocasionar problemas cardíacos, fraqueza muscular, tonturas, dentre outras”, alerta a farmacêutica Rita Vieira.
“A babosa dá diarreia. Então, o que acontece? Você faz quimioterapia, e um dos sintomas que faz a gente parar de usar quimioterapia é diarreia intensa. Então, a pessoa toma babosa, ela não fala para o oncologista que está tomando. Aí suspende a quimioterapia”, afirma o Dr. Riad Younes, oncologista.
“Há casos em que a planta não faz mal por ela própria. Ela tira o efeito ou piora do outro medicamento que a pessoa está tomando”, ressalta o professor de farmacologia da UFSC João Batista Calixto.

No último domingo, dia 12.9.10, em novo epísódio do quadro, foi analisado os efeitos do extrato de graviola no tratamento de câncer e por meio de testes em laboratório, ficou provado que o tal extrato pode multiplicar as células cancerígenas. Não é que devemos simplesmente parar de acreditar na força das plantas, afinal, é justamente delas que surgem os diversos tipos de medicamentos conhecidos e estudados hoje. O mais certo a se fazer é: antes de usar qualquer tipo de tratamento alternativo, perguntar ao seu médico sobre a interação medicamentosa com os tratamentos convencionais, ou seja, quimioterapia, radioterapia e outros remédios alopáticos. Além disso, fazer uma busca na literatura científica e procurar sobre estudos da planta, a fim de verificar sua eficácia em relação aos tratamentos. Mas, o mais importante é: NUNCA deixar de fazer os tratamentos convencionais passados pelo médico, pois, apesar de serem geralmente agressivos, são formas comprovadas por milhares de estudos, por milhões de anos, de combater o câncer, ou seja, são eles que agem na destruição das células cancerígenas e têm eficiência comprovada. Devemos saber conciliar de uma forma segura o tratamento convencional e outros tratamentos alternativos. Por isso, a informação é sempre bem-vinda e afasta a ignorância. Onde já se viu usar argila como forma de combate ao câncer, em vez da quimioterapia? Isso não existe.

Quem quiser saber mais é só ler a reportagem na íntegra, dispovível em:
http://fantastico.globo.com/Jornalismo/FANT/1,,JOR404-15607,00.html




domingo, 22 de agosto de 2010

O livro da vida


Peço desculpas pela ausência no blog, mas, como disse antes, comecei a trabalhar, estou fazendo minha monografia da pós, por isso a vida agora está meio corrida e não estou conseguindo achar tempo para escrever no blog como antes, mas prometo não abandoná-lo. Afinal, além da troca de informações, a atividade me serve como uma terapia. A gente realmente desabafa aqui. Descobri que escrever é muito bom. Aliás, desde pequena sempre tive diário, sempre gostei de liberar meus estresses e sentimentos com a escrita. Mas era só eu e o diário. Agora, com o blog, compartilho meus sentimentos com várias pessoas, o que é ótimo. A cada dia recebo vários e-mails de todo lugar do país de companheiras de luta, que estão entrando agora neste mundo ou que já estão passando por isso há algum tempo. Deram-me a ideia de escrever um livro com base no blog. Fiquei empolgada, mas é um projeto para quando tudo acalmar, acabar a pós, fazer a tão sonhada reconstrução definitiva, etc. Quem sabe.... Nesse mundo do câncer, nos deparamos com tantas histórias, algumas felizes, outras nem tanto. Quantas lutas, quantas vidas... Mas todos com suas histórias, compondo o livro da vida. A vida, cheia de mistérios... Alguns desvendados pela ciência, mas não pelo coração. Ela é simplesmente inédita, nunca sabemos o que está por vir, e o que ela nos reserva. Daí, nos depararmos com as provações, momentos difíceis, que podem nos trazer algumas respostas. Posso dizer que passei por um momento desses. E tenho certeza de que todos que também passaram ou passam por algo semelhante vivem uma jornada pessoal, uma fase de autoconhecimento, cheia de descobertas simples, mas de grande importância. Com o tempo, vamos conseguindo enxergar os porquês dessas provações. E depois de tudo isso só nos resta agradecer, pois aprendemos e amadurecemos. Nunca seremos perfeitos, longe disso, ainda temos muito a aprender e amadurecer. As coisas não acontecem por acaso, acontecem porque têm que acontecer, porque temos que passar por elas. Talvez por escolhas nossas, talvez por determinação divina. A vida já está escrita, no livro da vida, aquele que Deus escreve certo, mas por linhas tortas.
Obrigada, meu Deus, por me permitir aprender cada dia mais, pela sabedoria adquirida e pelo que ainda está por vir. Obrigada por essa chance! Quero aproveitá-la ao máximo. Quero é viver!


"...e de nada vai valer
lamentar a dor
nós temos que
seguir em frente
a vida não parou
vai ser difícil esquecer
tudo que passou
mas são as quedas
que ensinam cultivar o nosso amor..."
(Leve com você - Natiruts)

quinta-feira, 29 de julho de 2010

Para quem mora em São Paulo - Seminário EVIDA

Gente, a pedido de nossas amigas e amigos do Instituto Espaço de Vida, estou divulgando o Seminário EVIDA para pacientes e familiares (câncer de mama) que ocorrerá em São Paulo, no dia 18 de setembro. As inscrições estão abertas pelo site http://www.espacodevida.org.br/ ou pelo telefone (11) 3721-5317. As vagas são limitadas. E o melhor: é gratuito! Terão várias palestras interessantes com médicos (oncologistas e mastologista) e uma nutricionista especialista na área de oncologia. Acho que para quem mora em São Paulo, não custa nada conferir. Informações e orientações são sempre bem vindas!

Câncer de Mama - Seminário para Pacientes & Familiares EVIDA

Venha para Ouvir.
Venha para fazer Perguntas.
Venha para Aprender e se Fortalecer.

Câncer de Mama
Seminário para Pacientes & Familiares EVIDA em São Paulo

Dia: 18 de Setembro de 2010
Local: Hotel Renaissance
(Alameda Santos, 2233 esquina com Rua Haddock Lobo - Jardins)
Horario: 8h30m às 13h
Este evento é gratuito
(incluso material informativo e alimentação).

terça-feira, 27 de julho de 2010

E o tempo passa.....


Não disse que com o tempo as coisas vão se encaixando, se encaminhando.... Consegui um empregooooo! Uhuuuuu.... Estou muito feliz, pois, além de me tirar do ócio, vou trabalhar na minha área de atuação. Era tudo de que eu precisava agora. Veio na hora certa, depois de todos os tratamentos. Deus deu aquela mãozinha e tudo foi acontecendo. Estou na expectativa de começar, e quem trabalha feliz faz direito, faz com amor. Uma das coisas que mais me deixavam agoniada era saber o que iria acontecer comigo agora, como eu iria me restabelecer, como seria a minha vida pós-câncer de mama. Como retomar a rotina sem tantos médicos, sem tantas consultas? Como voltar ao mundo normal e às atividades corriqueiras do dia a dia? Enquanto estamos vivendo no "mundo do câncer", o outro mundo para. A vida se volta para médicos, exames, conversas sobre câncer, medos, dores, angústias, cirurgias, tratamentos... Ficamos, às vezes, imaginando as pessoas na rua indo ao trabalho, à faculdade, ao dentista, combinando um churrasco, uma viagem, uma festa. Claro! Podemos fazer tudo isso, mas dependendo do caso, com certa precaução. Por um determinado tempo, nossa vida gira em torno da luta contra o câncer. Acredito que todas as mulheres que passam por isso tendem a sentir um pouco de medo e de dúvidas quanto ao futuro. E nem precisa ser um futuro muito distante... o medo vem de repente. "E agora? O que vai acontecer com a minha vida?" - são perguntas que não querem calar. Eu, particularmente, não estava trabalhando quando comecei a frequentar médicos toda semana. Tinha acabado de me formar (em dezembro de 2008) na profissão que me realiza, que me apaixonei desde cedo: a biologia. Daí, quando acabei, já entrei para a pós para me especializar na área de perícia ambiental, área que gosto muito. Além da pós, entrei para um cursinho, logo, queria passar em um concurso (e continuo querendo...rs). Ainda no começo do ano passado, entrei em outro cursinho, especializado na minha área. Fiquei neste último apenas duas semanas, pois, logo depois, recebi o diagnóstico e tive que sair. Ainda bem que me devolveram o dinheiro.... Após ter recebido o diagnóstico do câncer, meu mundo caiu. Pensei: "E agora?". Sabia que este lado de realização profissional teria que esperar um pouquinho. Tive paciência. O tempo se encaregou de me ajudar. E é ele (o tempo) o nosso melhor amigo agora. Temos que ter paciência e fé, largar a ansiedade e deixar que o tempo vai se encarregar de deixar as coisas acontecerem na hora certa. Um exemplo disso, aconteceu agora. No dia 26 de julho do ano passado, eu estava no hospital me recuperando da cirurgia de retirada de ovário feita no dia anterior e não pude fazer a prova de concurso em que eu estava inscrita para o órgão que por sinal, vou trabalhar agora. Na época isso havia me deixado muito triste, pois, não tinha para onde correr. Um ano depois, consegui o emprego (Não foi pelo concurso, mas vou continuar tentando). Deus realmente escreve certo, por linhas tortas. Como diz o ditado: "Depois da tempestade, sempre vem a bonança." E que venha a bonança! Mais uma vez, só tenho a agradecer! Obrigada, obrigada, obrigada! E o mais importante: quando a gente realmente acredita, a gente consegue!

domingo, 4 de julho de 2010

Com o tempo


Com o tempo, você sorrirá novamente do fundo do seu coração e seu sorriso será genuíno. Mas, até que sua dor vá embora e sua tristeza despareça, não se sinta na obrigação de ser forte. O que você está sentindo é real. Não sinta que está fazendo algo errado se tiver vontede de chorar. Há alguns caminhos nessa vida que temos que trilhar sozinhos, mesmo que estejamos cercados de pessoas que amamos. Algumas coisas na vida, como o que você está sentindo agora, só podem ser sentidas por você. Mas, lembre-se apenas de que você não está só, absolutamente, todos que amam você estão caminhando a seu lado e em espírio, sempre estarão. Você encontrará uma nova força, uma nova paz e uma nova felicidade. Só é preciso esperar um pouco.


Laurie Wymer

quarta-feira, 30 de junho de 2010

Consulta com a Oncologista

Ontem fui a uma consulta com minha oncologista e meu Xuxu foi comigo. É sempre bom ir lá, porque eu sempre chego cheia de dúvidas e saio de lá mais tranquila. Achei que ela ia me pedir aqueles trilhões de exames de controle, mas no momento vou apenas coletar sangue para uma breve análise das minhas taxas. Exames de imagem só podem ser feitos certo tempo depois das irradiações da radioterapia, mais ou menos daqui a uns seis meses. As imagens podem não ser significativas e podem ter alterações. Pelo visto, tudo vai acontecer mesmo, daqui a seis meses, em meados de dezembro. Paciência agora é meu nome! Tenho que ter paciência que tudo vai acontecer na hora certa. Conversei com ela sobre meus altos e baixos. Ela disse que tudo isso é normal. Afinal, muitos remédios passaram pelo meu corpo nesses últimos meses, e além das células "más" eles também destruíam minhas células boazinhas, e não é de uma hora pra outra que tudo se recupera e volta ao normal. Meus hormônios ainda estão loucos tentando entrar em ordem, por isso ando por essa fase enlouquecida. Choro, sorrio, esperneio, sorrio de novo... e assim vou indo. Só quem passa por isso sabe como é. A cabeça dá mil voltas, os pensamentos vão se atropelando, e vem a ansiedade, os momentos de deprê, outros de euforia. Esses dias achei que eu estava ficando doida. Rs... Minha médica descreveu direitinho tudo que eu estava sentindo. Acho que, além de medicina, ela deveria ter feito psicologia. Tudo isso ainda são resquícios de minha menopausa precoce, ocasionada por um dos remédios que usei (Granulokine). Coisa de louco mesmo esse negócio de menopausa. O Xuxu estava lá ouvindo tudo e quando ela falou que ia me receitar um remedinho pra me ajudar a passar melhor por esta fase, ele disse: "Graças a Deus..." rs.... Tadinho! É ele que sempre está do meu lado, ouvindo minhas lamúrias e incertezas na maior parte do tempo. Que Deus dê sempre muita paciência a ele e a todos os homens que estão ao nosso lado nesse momento tão difícil. Para nós é muito complicado, mas para eles também não é nada fácil. Aliás, para a família toda é bem complicado. Acho que todos devíamos fazer terapia - pai, mãe, avó, irmão, namorado, papagaio, periquito, etc. Finalmente, depois de conversar, chorar e rir com ela, fomos embora com muita esperança, pois sei que tuuuudo vai passar, um dia vai passar, e no final teremos uma história linda para contar. Quero agradecer a todos os recadinhos carinhosos de toda minha família, meus amigos e amigas pelos parabéns ofertados no dia do meu aniversário. Quero agradecer principalmente as minha amigas blogueiras, que contam também todos os dias suas histórias de luta e superação com toda a garra e coragem. Vocês são especiais e é muito bom poder compartilhar e aprender junto com vocês. Como diz a Márcia Cabrita: "Força na peruca!". Muito obrigada a todas vocês! Essa data sem dúvida marcou um período de renovação, agora é vida nova! Se Deus quiser, com muita energia positiva.

sábado, 19 de junho de 2010

A verdade da rádio

Resolvi postar umas fotos sobre o que acontece com o corpo durante a radioterapia, pois, antes de fazê-la, procurei na internet e não encontrei nada parecido. As pessoas falavam que a pele poderia ficar escura, mas eu não tinha noção de como seria. O que eu ouvi falar muitas vezes não se parece com o que eu vivi. Portanto, verdade seja dita, a pele fica queimada mesmo, em alguns casos, pode chegar à carne viva. Mas a boa notícia é que TUDO VOLTA AO NORMAL. Pelo menos, é o que me dizem e o que parece estar acontecendo. Minha pele agora, passados dezessete dias do fim das sessões, está bem melhor. Já clareou bastante na parte da frente e as costas estão no mesmo caminho. Quis falar sobre isso e postar estas fotinhas pois acreditei que os sintomas na pele fossem diferentes, e com isso queria mostrar o que realmente acontece. Outra coisa: a radioterapia não tem nada de tranquila. A verdade é que ela é menos pior que a quimioterapia, pois, os efeitos colaterais realmente são menores e menos agressivos. Muitas vezes durante a rádio eu chorei, ou porque não aguentava mais de ter que ir lá todo dia e por eu estar me sentindo cansada, ou porque minha pele ardia e me incomodava. Confesso que ultimamente ando mais chorona do que de costume, e olha, como chora essa menina. Não posso ver um filme que já abro o bocão. Se morrer algum cachorro no filme então, passo a semana lembrando do coitadinho....rs. Sou mesmo uma manteiga derretida. Acho também que ando um pouco cansada de tudo que passou e a ficha caiu mesmo só agora. Vou iniciar uma terapia com uma psicóloga, que acho que deveria ter feito isso desde o início, fica aí a dica. Uma terapia é sempre bom. Mal não vai fazer. No fim disso tudo, temos que dar férias a nós mesmas. Pelo menos, até colocar as coisas no seu devido lugar. É isso que estou fazendo agora. Apesar da ansiedade e a pressa, calma agora é sinônimo de vida. Vamos com calma, sem pressa. Tenho certeza que tudo vai se encaixar e caminhar conforme acreditamos. É sempre bom lembrar, que cada um reage de forma diferente, tanto em relação à pele como em relação aos sentimentos. Parece que, quanto mais branca a pessoa, mais reação terá. E, ao contrário do que pensam as pessoas negras, tem que passar protetor e cuidar da pele também, pois TODOS podemos ficar com ela manchada.


Mudando de assunto, o blog está de cara nova já em clima de comemoração ao meu aniversário (dia 25). Estes dias estão passando como um filme em minha cabeça. Aliás, na minha cabeça e na da minha mãe. Principalmente ontem ela estava muito emotiva, lembrando da nossa correria em meio a tantas notícias. Há exatamente um ano eu estava recebendo o diagnóstico na sala do mastologista. Lá fiquei sabendo de uma vez tudo que iria me acontecer e em tão pouco tempo, afinal, tudo se passou em uma semana do diagnóstico à cirurgia. E no dia anterior ao do meu aniversário eu estava lá na mesa de cirurgia. Mas vamos lembrar também da parte boa, apesar de eu ter passado meu aniversário dentro de um quarto de hospital me recuperando da cirurgia: eu tive a maior prova de amor que poderia ter recebido, fui pedida em casamento. Aquele dia, que para mim poderia ter sido o mais triste, foi muito especial e eu nunca vou esquecer. TE AMO, MEU XUXU! Além disso, meu pai, minha mãe, meus irmãos, toda minha família e meus amigos estavam sempre do meu lado. E a outra boa notícia é que, agora depois de tudo isso, vamos poder comemorar o meu casório (se Deus quiser ano que vem sai) e a MINHA VIDA! Obrigada por tudo, meu Deus!
"Brindo à casa, brindo à vida, meus amores, minha família..."
(Mar de Gente - O Rappa)

quarta-feira, 2 de junho de 2010

4, 3, 2, 1... acabooooouu!

Acabou a radioterapia! Uhuuuuu! Estou muuuuito feliz! Acordei empolgadíssima, fiz a última sessão, minha mãe foi comigo, registrou todos os momentos e estava muito emocionada. Mãe é mãe! Depois da sessão, consultei-me com o médico. Os cuidados agora são com o sol, continuar usando as pomadas e compressas de camomila e... vida normal! De volta à vida normal! Durante poucos dias, os sintomas ainda podem aparecer, mas depois disso a pele começa a voltar ao normal, o que pode levar de um a seis meses. Daqui a um mês volto para uma nova consulta e já tenho que marcar outra com a minha oncologista. Já está na hora de fazer novamente os exames de controle. Quando acabou, nos despedimos de todos, agradeci, abracei, desejei sorte a todos os pacientes que cruzei pelo caminho e a todos os enfermeiros, enfermeiras e técnicos(as) da radioterapia. Todos sempre me receberam muito bem, me senti muito à vontade e acolhida. Saindo de lá, passamos no Templo da Boa Vontade (templo ecumênico da cidade) para agradecer a Deus. Aliás, saí do hospital já agradecendo a Ele. Andamos pela "Nave" do TBV para renovar as energias, assim como fizemos no dia da minha cirurgia de mastectomia. A "Nave" do TBV é desenhada em espiral e quando a percorremos primeiro passamos pela cor escura (no sentido anti-horário), que representa a jornada difícil do ser humano na busca de um ponto de equilíbrio. No meio do caminho, chegamos ao centro da pirâmide, onde tem um cristal sagrado (simboliza o Ecumenismo Total, a presença unificadora de Deus) e uma placa de bronze que simboliza a descoberta da Luz e o início de uma nova jornada. Por fim, passamos pelo caminho de cor clara (sentido horário), representado pela trilha iluminada pelos valores morais e espirituais adquiridos pelo próprio esforço do ser humano, e termina no Trono e Altar de Deus, de quem recebemos as bênçãos. Tudo perfeito para o dia de hoje. Lá, li a frase: " Todo dia é dia de renovar o nosso destino" (Paiva Netto). É verdade, hoje é mais um dia de renovação, a renovação da minha vida. Obrigada, meu Deus!

Abaixo, os registros da mamãe:

Iniciando a última sessão...

Mamãe ficou assistindo pela telinha - "os bastidores da radioterapia".

Enfermeiros queridos que cuidavam de mim todos os dias. Pena que não tiramos foto da equipe toda.

Dr. Evandro, meu querido médico.

Minha amiga "do peito" - Silvane.


quarta-feira, 26 de maio de 2010

Falta uma semana!

Ah.... faltam 5 sessões. Quarta-feira que vem acaba essa fase. Não vejo a hora deste dia chegar. É muuuuuito chaaaaato fazer radioterapia. Além da canseira que dá ir lá todo dia, tem o cansaço que a gente sente. Minha pele está superescura no local onde faço as irradiações, com aspecto de queimado, o que me incomoda, coça e fica dolorido às vezes. Até meu pescoço e minhas costas estão com aspecto de queimado. Ontem, tive consulta com o médico, que me explicou serem normais essas reações. Explicou também que, em mais ou menos um mês, talvez ainda sinta algumas reações na minha pele, mas depois disso tudo começa a melhorar. Difícil está o us0 de algumas roupas, porque, como a área está sensível, não estou conseguindo usar mais sutiã, o que me deixa chateada. Acontece que, quando enchi o expansor, meu seio direito ficou (ficará assim só temporariamente, graças a Deus) maior que o esquerdo. Usar um sutiã com enchimento em apenas um lado estava me ajudando a disfarçar essa diferença. São detalhes que me incomodam muito, assim como outros, e quanto melhor eu estiver me sentindo fisicamente, mais bem estarei emocionalmente. Meu Xuxuzinho me lembrou ontem que o que estou passando é apenas uma fase, uma etapa da minha vida, e que um dia tudo isso ficará apenas em nossa lembrança, como um momento difícil, mas que muito aprendemos. Apesar de estar odiando fazer a rádio, sei que ela é muito importante, por ser mais uma garantia. Além dessa garantia, há outra coisa boa: as amizades que faço por lá. Enfermeiros (as), técnicos (as), secretárias, pacientes, médicos, etc. Falando nisso, um beijo para Silvane, minha amiga "do peito", que há alguns dias saiu em uma matéria do Correio Braziliense na seção de saúde falando sobre o que podemos fazer em nosso benefício para amenizar o período da quimioterapia. A sugestão inclui alimentação saudável, meditação, ioga, acupuntura, terapia, e tudo que tiver direito. Chique demais! Ontem também a clínica recebeu a sua mais nova paciente; ela tem 3 aninhos. Fez quimioterapia (está carequinha) e agora vai começar a radioterapia para tratar de um tumor no cérebro. Apenas 3 aninhos e passando por este sofrimento. É... para o câncer não tem idade... Mas ela estava lá correndo para cima e para baixo, irradiando alegria e recebendo o carinho de todos que cruzavam seu caminho. Que Deus lhe dê muita saúde, lindinha! Estará em minhas orações.
A contagem regressiva está chegando ao fim... 5...

quinta-feira, 20 de maio de 2010

A vida não é fácil (By Regininha)

Passeando pelos blogs da vida, me deparei com um texto da Regininha http://reghynynha.blogspot.com que achei surpreendente. Resolvi postá-lo aqui, para passar essa mensagem para frente.
Só para constar: faltam 9!
A vida não é fácil

O maior erro do ser humano,
É achar que a vida é fácil.
É achar que a vida é simples.
A vida é difícil, é muito difícil.
E não é só para você.
É para todo mundo.
Até para aquele que você pensa que vive muito bem.
Até pra quem você vê sorrindo todos os dias.
Todos. Todos nós temos problemas e dificuldades.
Muitas vezes interiores, que só nós sabemos.
Muitas vezes exteriores que todo mundo vê e sabe.
Então, quem vem para esse mundo, achando que a vida é brincadeira;
Que a vida é só acordar, dormir, brincar, trabalhar e ser feliz;
Está enganado.
A vida é uma luta diária.
A felicidade não cai do céu.
A felicidade se conquista.
E com muito sacrifício.
O sacrifício, a luta de cada dia.
É preciso saber abrir mão.
É preciso saber dizer não.
Saber não ter e não poder aquilo que queremos.
Vencer as dificuldades dia após dia.
Vencer as tristezas e os sentimentos ruins que vivenciamos.
Ninguém é feliz todos os dias.
Nem aquele que você acha que é.
Ser feliz todos os dias não é normal.
Ser feliz por muito tempo sim, pode ser.
Mas não todos os dias, todas as horas.
A vida é feita de momentos. Bons e ruins.
Ás vezes muito bons.
Ás vezes muito ruins.
Os momento ruins parecem não ter fim.
E os momentos bons parecem passar rápido demais.
Mas não se esqueça: Tudo nessa vida tem início e fim.
Você querendo ou não.
Tudo nessa vida tem um lado bom e ruim.
Você acreditando ou não.
E por incrível que pareça você que escolhe a todo o tempo;
Se vai ver da forma boa ou ruim.
Não é fácil entender e aceitar essa ideia.
Mas é verdade.
Essa é a grande verdade da vida.
Tudo, mas tudo nessa vida;
Tem uma forma positiva e negativa de ser visto.
Mesmo a pior coisa que já tenha lhe acontecido.
A pior coisa que já tenha visto.
As coisas ruins costumam marcar demais por toda a nossa vida.
E as coisas boas acabam sendo pequenas lembranças.
Você precisa lutar contra sua própria natureza.
Tudo depende do valor que você dá a cada coisa.
Se esforce para valorizar as coisas boas da vida.
Se esforce para não deixar as coisas ruins terem mais valor para você.
Isso faz a diferença.
Por isso, pessoas que pregam o bem e o pensamento positivo são mais firmes, sofrem menos ao longo da vida.
Transformam sua vida e sua capacidade de ver as coisas.
Transformam sua capacidade de enfrentar e superar os problemas;
As tristezas, as dificuldades, as perdas, as traições, o sofrimento.
A mudança começa no pensamento, mas só acontece na atitude.
A atitude de escolher uma forma positiva de viver e de pensar.
A atitude de se transformar.
Mudar seu pensamento, muda seu comportamento.
Mudar seu comportamento, também muda seus pensamentos.
E então muda seus sentimentos.
E melhora sua vida.
Se você só pensa e não toma atitude;
Você não muda;
E assim não muda seus sentimentos.
A vida não é fácil ;
Precisamos lutar todos os dias;
Precisamos nos sacrificar todos os dias;
Precisamos da força de superação que todos nós temos e a maioria não sabe.
Precisamos nos esforçar a todo momento para lutar contra nossa própria natureza.
Precisamos nos concentrar para mudar nossas atitudes.
Ninguém veio aqui à passeio, como muitos pensam.
Não podemos nos acomodar ou esperar as coisas acontecerem.
Viemos para lutar.
Viemos para ser guerreiros.
Guerreiros em busca de uma só conquista:
A conquista da felicidade.

(Regininha)

terça-feira, 18 de maio de 2010

Faltam 11!

Hoje amanheci um pouco cansada, com preguiça, não queria sair da cama. Mas levantei, tomei um banho e fui para a consulta com o radioterapeuta antes da sessão de rádio. Ele disse que esse cansaço tem a ver com a rádio, com0 já havia me alertado antes. Eu, achando que era pura preguiça, não tinha notado que de uns dias pra cá andava meio sonolenta. Na verdade, estava me sentindo bem, aliás ainda estou, mas só um pouquinho desanimada. Normal do tratamento, pois, além do desgaste físico, é cansativo ir lá todos os dias e fazer o procedimento. Da semana passada pra cá, também notei o escurecimento da minha pele no local. Já sabia que isso iria acontecer, mas quando acontece é diferente. Dá uma baqueada. O bom é que todos dizem que depois volta ao normal. Tenho outra novidade: o vídeo que fiz sobre a saúde da mulher para o SEST/SENAT há alguns meses atrás chegou. Assisti ontem com meu amorzinho. Ficou legal! Pena que não dá pra colocar aqui e quem quiser ver vai ter que ir à unidade do SEST/SENAT mais próxima de sua casa e assistir às palestras. Vou ver a possibilidade de poder exibi-lo aqui. Pois é, faltam 11. Já estou na quarta semana de tratamento e, ao mesmo tempo que parece passar rápido, também parece que está demorando uma eternidade.

terça-feira, 11 de maio de 2010

Mamografia Digital Gratuita - Ajude esta Campanha


Queridos amigos e amigas,


O seu clique solidário não custará nada!


O Instituto Neo Mama de Prevenção e Combate ao Câncer de Mama em conjunto com a equipe do site de Câncer de Mama gerenciam uma campanha que necessita de cliques para alcançar quotas que lhes permitam oferecer mamografias gratuitas a mulheres brasileiras necessitadas.


Demora menos de 5 segundos, mas fará uma grande diferença acessar o site e clicar no botão cor de rosa em um ícone no lado esquerdo da tela que diz: " Campanha da Mamografia Digital Gratuita".


Acesse diariamente o Website:



Não demora e não custa nada, ajudem a detectar precocemente o câncer de mama. Ele tem cura!


Obs: Caso você ainda não saiba, 1% dos casos de câncer de mama acomete os homens.


Obrigada!


sexta-feira, 7 de maio de 2010

No mundo do câncer

Depois que você passa por uma doença como um câncer, você se dá conta da infinidade de pessoas que estão passando pela mesma situação. Situações por vezes piores, por vezes menos piores que a sua. A partir daí, você entra no mundo do câncer. Conhece essas pessoas, convive com médicos, enfermeiros, hospitais, exames, quimioterapia, radioterapia, remédios, etc. O mundo meio que gira em torno desse assunto. É só eu chegar na radioterapia e sentar perto de alguém diferente que vem a pergunta: - o seu foi aonde? Aí cada um conta a sua história e troca suas experiências. Esse contato acho importantíssimo, pois descobrimos sempre novas informações. São crianças, adolescentes, idosos, pessoas de todas as idades, cada um tratando o seu tipo de câncer de formas diferentes. Nunca nenhum caso é igual ao seu. O mundo do câncer é um mundo cheio de descobertas. Nos descobrimos mais fortes, na maioria dos casos, somente nos descobrimos. Aprendemos e ensinamos, mais aprendemos do que ensinamos. E o crescimento sempre está dentro de nós. O mundo do câncer traz também tristezas. Vez ou outra, alguém cumpre seu papel e deixa o mundo físico para evoluir no mundo espiritual. As pessoas que ficam muitas vezes não entendem essa ausência e sofrem com a partida do ser querido. Esses não perderam a luta, foram os que lutaram mais bravamente. Mas o mundo do câncer também traz alegrias. A família e os amigos, através do amor, do carinho e do apoio, nos trazem a mais plena felicidade. Os laços que se firmam não se afrouxarão nunca mais. Mas a alegria maior está na contemplação da vida, que aos nossos olhos se torna diferente. Digna de ser vivida, da melhor forma possível.

Sem mudar o assunto, final de semana passado cortei as madeixas. Fui a Goiânia fazer uma prova de concurso e acabei parando em um salão de beleza. Como o cabelo já cobriu toda a cabeça e as laterais crescem mais rápido do que em cima e o mesmo ainda estava sem corte nenhum, fui influenciada pela minha mãe e minhas tias a apará-lo. Não queria cortar por medo de demorar mais ainda para crescer, mas cortei e depois achei ótimo. Estava sem corte e agora vai crescer com corte. Me senti muito melhor, mais bonita. Saí de lá fashion! Realmente não dava para deixar crescer sem nenhum corte. Postei umas fotinhas da mamãe e das tias corujas acompanhando o cabeleireiro para que ele não tirasse um dedo a mais do que o planejado. Só pra constar, as sobrancelhas demoram mais a crescer, as minhas estão em fase de crescimento.

A contagem regressiva continua... faltam 18!

Para as mães, um feliz dia!

Para a minha, TE AMO MÃE, OBRIGADA SEMPRE POR TUDO!

Amanhã é aniversário do meu irmão mais lindo do mundo. Parabéns João! Te amoooooo!

sexta-feira, 30 de abril de 2010

27, 26, 25, 24...

Continua a contagem regressiva! Menos cinco... agora só faltam 23! É bom pensar assim, que parece ser mais rápido. Está sendo legal ir à rádio, todos os dias conheço alguém diferente, bato papo, troco experiências - diferente da químio, em que fazíamos cada um em seu "quartinho" e não tínhamos contato com quem também estava fazendo. Às vezes, cruzava com um ou outro no corredor, na hora de ir ao banheiro, que por sinal era muitas vezes, toda hora dava vontade de eliminar o remédio. Quando era o "vermelhinho" o xixi saia vermelhinho também. Mudando de assunto, esses dias fui vacinar contra a influenza H1N1. Antes disso, enviei uma mensagem perguntando para minha oncologista se poderia vacinar e ela liberou. Chegando ao postinho de vacinação, falei para a enfermeira que tive câncer de mama e que iria começar um tratamento de radioterapia. Ela não quis me vacinar, alegando que meu sistema imunológico ficaria afetado com o tratamento. Não entendi muito bem e fui embora triste. Mandei uma mensagem a minha médica, ela disse que depois acharíamos uma ocasião melhor para vacinar. Mas não fiquei satisfeita, afinal deveria era estar prevenida durante o tratamento, uma gripe só ia fazer piorar tudo. Perguntei ao meu radioterapeuta, ele também disse que eu poderia vacinar e que durante a rádio minha imunidade não seria afetada, ao contrário da químio. Portanto, a enfermeira estava completamente equivocada quanto a isso. Voltei ao postinho e fiz a mulher me vacinar. Diante disso, a minha principal dúvida era: sou portadora de doença crônica? Estou inserida neste grupo? A melhor resposta que obtive foi através do blog do Dr. Marcelo Bellesso (Hemo-Blog), quando ele postou sobre o assunto, dizendo que imunodeprimidos, ou seja, pacientes em tratamento de aids, câncer ou portadores de doenças que debilitam o sistema imunológico, estão inseridos no grupo de doentes crônicos, assim como várias outras doenças. É importante lembrar (como o Dr. Marcelo mesmo diz em seu blog) que antes essa questão deve ser decidida com seu médico, se você deve ou não vacinar, pois cada caso é um caso. Inclusive ainda pode-se vacinar, é só procurar o posto mais próximo da sua casa. Mais informações no site http://www.vacinacaoinfluenza.com.br/. Já que toquei no assunto do blog do Dr. Marcelo Bellesso, quero agradecer o comentário que ele me deixou - obrigada Doutor! - e informar que está disponível no link "Hemo-Blog" no lado direito deste blog. Ele não fala especificamente de câncer de mama, mas dá dicas e esclarecimentos importantes em relação a vários assuntos, principalmente para portadores de doenças hematológicas.
Agora, descanso dois dias e segunda-feira volto para rádio.

Muita paz e luz para todos!

Beijo especial as minhas amigas da rádio: Eliane, Alexandra e Maria das Graças.

segunda-feira, 26 de abril de 2010

Radioterapia

Hoje foi a primeira sessão de radioterapia. Não doeu. Senti um calor no seio quando estava sendo irradiada e ficou um pouquinho vermelho. Conheci algumas mulheres que também estão fazendo o tratamento, que se autodenominam "amigas do peito". Entrei para o grupo. Trocamos várias figurinhas e algumas delas me disseram que sentem dores sempre; outras, no começo do tratamento; outras, no final; e outras nem chegam a sentir dor. Depende de pessoa para pessoa e cada paciente reage de forma diferente. Além da dor local, a pele também pode ficar queimada, rósea, seca e sensível. Onde há dobras naturais, como abaixo do seio, as reações tendem a ser piores. Para tentar evitar estes sintomas, seguirei à risca o que me recomendaram: pomada três vezes ao dia (Dnativ) e compressa de chá ou flor de camomila pelo menos três vezes ao dia também (quanto mais, melhor). A pomada para proteger a pele e o chá para aliviar ou até evitar que se sinta dor durante as sessões. A camomila tem finalidade anti-inflamatória e relaxante celular. Outras recomendações: beber muita água, correr do sol e de cigarro. Mais uma etapa começou, serão 28 sessões, todos os dias, folgando apenas sábado e domingo. Estou confiante e positiva!
Começou a contagem regressiva.... 28....

quinta-feira, 15 de abril de 2010

A dor e o sofrimento

De certa forma, fiquei pouco envergonhada, mas também aliviada pelas coisas que escrevi outro dia. Estava desabafando, pois, como disse, nem tudo são flores e passamos por altos e baixos. Uma hora você se cansa e cai na real do que está te acontecendo. Há dias em que você quer sorrir, há dias em que você quer chorar... isso é normal. São muitos acontecimentos que mudam sua vida e há dias que não nos achamos preparados para lidar com eles. O que fazer? Rezar, conversar com Deus, meditar, ler bons livros, pensar sempre no lado positivo e agradecer. Foi o que fiz e o baixo-astral foi embora. E não quero mais deixá-lo tomar conta da minha cabeça. Temos sempre que seguir em frente de cabeça erguida. Afinal, tudo isso são provas da vida. Provas que nos fazem fortalecer, evoluir, crescer como espírito e ser humano. Reclamamos muitas vezes, quando estamos sentindo dor, seja ela qual for. Mas a dor nós não podemos escolher por senti-la; o sofrimento sim, este podemos escolher senti-lo. Minha mãe estava lendo sobre isso em uma revista e veio com esta frase: "A dor faz parte da vida, o sofrimento é opcional" (autor desconhecido). É a mais pura verdade. Quando nos revoltamos com a dor, quando não aceitamos, o sofrimento aumenta e tudo vai piorando. É nessa hora que devemos refletir e tentar compreender que estamos passando por isso simplesmente para amadurecermos espiritualmente. Amadurecendo e tendo atitudes positivas, evoluímos. Devemos agradecer a Deus por ter nos dado mais esta oportunidade. Porque, com a doença, podemos progredir, crescer, evoluir. Continuo aprendendo a cada dia. Agradeço a Deus pela minha vida e por tudo que eu tenho aprendido durante esta jornada. Quero continuar rezando, lendo, meditando, agradecendo, para estar sempre em contato com Deus. Estamos aqui para isso, para aprender e evoluir. Por que não fazer isso da melhor forma? Viver cada segundo com alegria e positividade é o melhor que temos a fazer a nós mesmos. Vou terminar com uma frase que li no livro "Em missão de socorro", de Vera Lúcia Marinzeck Carvalho, que me inspirou para escrever hoje: "Quando se sofre, pode-se ser tentado a revoltar-se contra este fato, isto é humano; vencer esta revolta e saber sofrer é sábio e ser derrotado por ele é lastimável".

A propósito, fiz a última expansão da mama, antes da radioterapia, na última segunda-feira e enchi 40 ml. Sofri menos dessa vez. Não deu para colocar os 600 ml que o cirurgião pretendia, pois o radioterapeuta não queria perder mais tempo. Antes a vida, do que um peito. Ficou faltando 120 ml que iremos colocar quando acabar a radio. Ontem, fiz novamente a tomografia e marquei os pontos para a radiação. Começo a radioterapia semana que vem.



"Deus não escolhe os capacitados, ele capacita os escolhidos".

terça-feira, 6 de abril de 2010

Desabafo

Como é horrível encher este expansor. Semana passada coloquei mais 60 ml. Doeu o dia inteiro e a dor só melhorou no outro dia. As costas doem, o braço dói e o seio continua parecendo que vai explodir. Tomei até um remedinho pra dormir logo e esquecer as dores. Antes de ontem enchi de novo e coloquei mais 50 ml. A dor ainda não passou e amanhã tenho certeza que amanhecerei melhor. Ainda devo encher mais 160 ml divididos entre três encontros com o cirugião plástico. Pelas contas, dá três semanas, mas ainda não sei o que acontecerá, porque meu cirugião não conseguiu falar com meu radioterapeuta e vice-versa. Espero que amanhã eu tenha resolvido esta questão. Todas essas novidades, radioterapia, encher o expansor, estão me deixando ansiosa e agoniada. Além disso, ultimamente tenho me sentido meio baixo astral, daí junta com essas dores, parece que tudo vira de cabeça pra baixo. Pra falar a verdade, essas novidades só me deixaram pior do que já estava antes. Nem todo dia são flores. Muitos dias acordo e não quero ver ninguém, falar com ninguém, nem me olhar no espelho. Tem dias que odeio ver meu cabelo crescendo sem corte nenhum (esses dias pra trás pintei pra ver se melhorava o astral), minha sombrancelha ainda crescendo, meio seio totalmente modificado, meu peso fora do normal, ainda não posso jogar volêi, ir na cachoeira (porque posso machucar o braço), fazer trilhas, tive que sair da hidroginástica, minhas unhas estão horrorosas e por aí vaí. Ando cansada de tudo isso. Vejo algumas fotos minhas de alguns anos atrás e dá muita vontade de voltar no tempo e ter tentado de alguma forma mudar o meu destino. Quem dera se a vida fosse assim. Quando caio na real, tento me lembrar de tudo que já me aconteceu desde a descoberta, que graças a Deus pude ir aos melhores médicos, meu corte no meu seio nem ficou tão horrível assim, que graças a Deus descobrimos no começo, que tenho um convênio médico, que tenho uma família e amigos maravilhosos e um Xuxuzinho que me ama do jeito que eu sou e estou. Tento lembrar que sempre existem pessoas passando por problemas piores que o meu e tenho até vergonha de chorar pra mim mesma às vezes por isso. Termino agradecendo a Deus por tudo que tenho aprendido e que ainda tenho a aprender nesta vida. Peço perdão por às vezes me sentir fraca e peço força para continuar lutando contra esta maldita doença e por tudo que ela me trouxe de ruim.


"A fé transporta montanhas".

quinta-feira, 1 de abril de 2010

Radioterapia adiada!

Quando se trata de um câncer, tudo tem que ser corrido. Temos que agir mais rápido que ele. Por isso, tudo que eu fiz até agora foi corrido desde a descoberta. Esse negócio de fazer radioterapia também me pegou de surpresa. Como disse antes, já tinha feito a tomografia e já tinha marcado os pontos (onde será enviada a irradiação) para começar nesta semana. Mas, ainda na semana passada, fui a uma consulta com o cirurgião plástico. Lá tive a informação de que, se não fosse enchido o expansor, minha pele poderia perder a elasticidade com a rádio e seria muito difícil fazer a reconstrução definitiva conforme idealizamos. Fiquei meio desesperada e concordei em encher o expansor. Colocamos 100 ml. Na hora já ficou dolorido, como na primeira vez. Meu médico cirurgião recomendou que eu questionasse o radioterapeuta se poderíamos começar a rádio daqui a umas duas ou três semanas, pois ele poderia encher o expansor nessas semanas. Saí de lá, fui à consulta com o mastologista. Ele disse a mesma coisa, mas disse também que tinha um prazo para que a radioterapia fizesse efeito e que eu deveria conversar com o radioterapeuta sobre issso. Durante este tempo todo, a dor que sentia com o expansor não passava. Pegamos (eu e mamãe como sempre) um engarrafamento na volta pra casa e comecei a sentir muita dor, meu braço e costas doíam, latejava tudo, parecia que meu seio ia explodir. Só depois de chegar em casa é que ligamos para o médico para contar o ocorrido. Ele mandou eu voltar na hora. A Dedé (minha irmã) voltou com a gente. Tiramos 30 ml, depois de eu sofrer só mais um pouquinho porque minha válvula estava "enferrujada" e não queria liberar o líquido de jeito nenhum. Doeu demais, chorei muito, minha mãe ficou rezando no cantinho da sala. Assim que ele conseguiu tirar, o alívio foi imediato. Que susto! Colocamos esse tanto de soro, pois achamos que não ia dar tempo de encher o expansor. Tudo por um peito novo!!! Rs... Voltando à questão da rádio, só ontem consegui falar com meu médico. Ele explicou que a decisão de fazer a expansão antes da rádio é minha, mas é claro que quanto mais rápido eu começasse seria melhor e depois teríamos que fazer outra tomografia, marcar novamente os pontos e ele teria que fazer outro mapeamento para a minha rádio. Já era! Como já enchi o expansor na semana semana, já mudou tudo. Ele (meu radioterapeuta) deve estar achando que eu sou uma pessoa fútil, que estou mais preocupada com meu seio do que com minha saúde. Mas não é bem assim. Minha vida vem (é claro!) em primeiro lugar. Mas, se eu tenho tempo para poder deixar meu seio mais bonito, o que fará muito bem para minha autoestima (que não anda lá essas coisas), eu me sentirei mais bonita, mais mulher. Isso faz uma enorme diferença e quem passa por isso sabe que faz. Ele nunca teve um peito para saber a falta que um faz. O que acontece é que cada médico quer ver sempre o seu lado. O radioterapeuta quer fazer bem o trabalho dele e o cirurgião também. Hoje, vou ao cirurgião de novo, encher pela terceira vez o expansor. Vou pedir ao médico que fale com o outro, mas tudo já está resolvido. Vou fazer toda a expansão primeiro e daqui a duas semanas começo a rádio. Confio em Deus e sei que tudo vai dar certo.
FELIZ PÁSCOA!!!!

segunda-feira, 22 de março de 2010

Consulta e Radioterapia

Fui a uma consulta com a oncologista na quinta-feira passada, meus exames estavam ótimos, e isso foi uma ótima notícia. Mas quando eu comecei a perguntar sobre a questão da reconstrução da mama minha médica me disse que talvez eu teria que fazer radioterapia. Fiquei triste na hora, afinal achei que ia receber a liberação para a cirurgia de reconstrução definitiva. Nada disso! Minha médica acaba de chegar de um congresso internacional de oncologia cheia de novidades quentíssimas. Uma delas é que para o meu caso, para o meu tipo de câncer, pela minha idade, pelos meus 2 linfonodos sentinelas comprometidos e por outros fatores, ela queria ouvir a opinião de um radioterapeuta antes de seguir adiante. De acordo com novas pesquisas feitas com mulheres mastectomizadas radicalmente, algumas opiniões mudaram com relação à questão de fazer ou não radioterapia. Antes, no meu caso, o protocolo não exigia este tipo de tratamento. No dia seguinte fui ao encontro do Dr. Evandro, e depois de várias análises dos meus trilhões de exames feitos nos últimos meses ele chegou à conclusão de que devo fazer radioterapia. Fiquei um pouco chateada, como já disse, pelo fato de não poder fazer a reconstrução agora e só poder fazê-la daqui a 6 meses. Mas, se apareceu esta questão, justamente agora, pode ser um sinal dos céus. Agradeci a Deus, a meu anjo da guarda e aos espíritos protetores, por me mostrarem todos os caminhos. Com a radioterapia, os riscos de um câncer voltar são mais restritos. E o que queremos é sempre isso. Que ele não volte nunca mais. Hoje, fui no médico novamente, mas dessa vez para fazer uma tomografia e marcar os pontos onde serão enviados os raios - estou com três adesivos perto dos seios e tenho que ficar com eles até o fim da radio para poder marcar os pontos onde será feita a radiação diária. O lado ruim é que vou ter que sair da minha hidroginástica, mais ou menos por uns 2 meses, pois o adesivo pode sair do lugar, não posso ficar exposta ao sol durante um bom tempo, posso sentir um pigarro ou arranhão na garganta ao engolir substâncias, posso me sentir prostrada e cansada, e minha pele pode ficar escura. O lado bom é que posso correr, caminhar, fazer qualquer outro tipo de exercício que não seja na água e que, passados dois dias depois do tratamento, os sintomas começam a desaparecer. A rádio nem se compara com a quimio em termos de efeitos colaterais. Ainda bem. O pior já passou. Devo começar até segunda-feira que vem. O número de sessões diárias (cada uma mais ou menos de 20 minutos) ainda será definido pelo meu médico, que podem ser 28 ou 33. É isso aí! Vamos eliminar as células cancerígenas! Rumo à radioterapia!

segunda-feira, 1 de março de 2010

Aconselhamento genético

Há mais ou menos um mês atrás, consultei com uma geneticista (Dra. Beatriz) e conversamos sobre a questão de retirar ou não a outra mama por medidas profiláticas. Existem alguns exames , BRCA1 e BRCA2, que podem determinar uma predisposição ao câncer de mama e ovário. Esses exames vão avaliar se mutações nos genes BRCA1 e BRCA2 sugerem a participação de fatores genéticos herdados, como pode ocorre no câncer de mama e de ovário. Segundo o site http://www.fleury.com.br/, mulheres que herdam essa mutação em uma das cópias desses genes, apresentam risco de 50% a 87% para desenvolvimento de CA de mama e 44% para CA de ovário até os 70 anos de idade. Mas os médicos só recomendam a realização deste exame em determinados casos e exigem uma série de critérios, como por exemplo, ter histórico na família de parentes de primeiro grau (mãe, filha ou irmã) de casos de CA de mama ou ovário. O protocolo para um encaminhamento deste exames seria de 20% , e na avaliação da minha médica o meu ficou em torno dos 7%. Então, no meu caso, este exame não é recomendado e não será necessário, o que é ótimo, pois agora já posso pensar na reconstrução definitiva da minha mama. Não vejo a hora de me olhar no espelho e me sentir linda e bela novamente. A consulta com o cirurgião já está marcada, mas antes devo encontrar minha oncologista (dia 18) para levar os resultados dos exames de controle que fiz nestes últimos dias. Graças a Deus, parece estar tudo nos conformes. No mais estou me sentindo ótima, a dor nos pés melhorou bastante, meu cabelo está crescendo (postei uma foto recente com meu Xuxuzinho) e o melhor, emagreci 5 quilos. A fisioterapia, depois de 20 sessões, acabou provisoriamente, pois depois da reconstrução da mama, devem ser passadas mais algumas sessões. Infelizmente, quando eu tiver que voltar, será com outra fisioterapeuta, já que a minha passou em um concurso e teve que se mudar daqui. Fiquei triste por não tê-la mais comigo, mais muito feliz por sua conquista - Obrigada Dra. Vanessa, por todos esses dias que passamos juntas, por ajudar na minha recuperação, pelas longas conversas no consultório, pelo apoio e pelo carinho. Estarei sempre torcendo por você. Aliás, eu dei tanta sorte, que não tenho do que reclamar nunca mais na minha vida. Todos os médicos que passei, são anjinhos que vieram para a terra para nos ajudar a evoluir. Todos lindos, com coração de ouro. Para tratar de pessoas com essa doença tão cruel, somente pessoas muito especiais são destinadas a essa missão. E para comemorar tantas notícias boas, minha família se reuniu na casa de minha madrinha há alguns dias, a fim de comemorar estas vitórias. Obrigada madrinha! Obrigada família!

Prometo não deixar mais o blog às moscas e atualizado sempre. Depois da consulta com a oncologista, darei notícias.

Um beijo para todas mulheres guerreiras que estão lutando contra esta doença e que deixam recadinhos tão carinhos e emocionantes aqui. Obrigada sempre pela troca de informações!

terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

De volta a rotina...


Acabaram as férias... de volta a rotina. Retomei meu curso de especialização com direiro a festinha surpresa e tudo mais - obrigada a todos meus colegas de turma pelo apoio e pelo carinho sempre! - Agora vou ter que fazer vários trabalhos pelas matérias que perdi, mas estou muito feliz em estar bem para voltar a estudar. Há dois meses, fiz minha última sessão de quimioterapia e ainda sinto dor nos pés. Minha médica disse que é por causa das células mortas, por isso não aguento ficar em pé por muito tempo, o que já melhorou bastante. Minhas unhas ainda devem demorar mais uns dois meses para crescerem todas e voltarem ao normal. Meus cabelos estão crescendo de vento em poupa, brevemente terei que fazer o "pezinho". A única coisa que não gostei é que estão crescendo mais fios brancos, mais do que os que eu já tinha. E esses danados ainda são rebeldes. Terei que esperar mais um tempo para pintá-los, pois como estão surgindo cada dia mais rápido, teria que pintar de 10 em 10 dias. É melhor esperar... Mas sabe? Não estou ligando muito pra isso mais não. Se tiver que cortar um palmo, dois dedos, pintar de uma cor, pintar de outra... nada disso mais me deixará tão incomodada como já me senti antes em relação aos cabelos. Descobri coisas mais importantes. Semana passada, tive consulta com minha linda oncologista (Dra. Patrícia). Mamãe foi comigo. Conversamos horas - falamos de casamento (acho que esse ano entrarei no mundo maravilhoso das mulheres casadas...rs), conversamos também do que se passou e sobre o que vai acontecer daqui pra frente. Choramos (eu e mamãe), como sempre. Ela me explicou que além de eu estar fragilizada, ainda sinto os efeitos do Zoladex, aquele remedinho injetável que serve pra proteger a função ovariana e me leva a sentir os efeitos da menopausa precoce em que me encontro provisoriamante. Por causa dessa menopausa precoce, meus hormônios vão a loucura e na mesma hora que estou feliz, posso ficar triste, com raiva, chorosa, louca, etc. O calorão que vem sem explicação, é o mais chato. Passo a noite ligando e desligando o ventilador. Neste caso, a menopausa ainda é pior, do que a que mamãe está passando agora e que passarei um dia de novo no futuro. A boa notícia é que não precisarei mais usá-lo (o remédio). Além dessas explicações, ela passou uma penca de exames para fazer: ecografias, raios-x, desintometria, cintilografia, exames de sangue, etc. Em meados de dezembro, consultei também com o mastologista (Dr. Bruno), que me pediu uma mamografia para a mama esquerda (já fiz e está tudo bem) e passei também pelo cirurgião plástico (Dr. Adorno), onde só voltarei depois de conversar com a geneticista (aconselhamento genético) para decidir com mais segurança sobre a questão de tirar ou não a outra mama. Sobre os quilos que ganhei, ou melhor, os líquidos que adquiri durante o tratamento, estes estão sendo eliminados aos poucos, com a ajuda da drenagem linfática, que retira o excesso de líquido retido nas regiões intersticiais (entre as células), ainda filtra e drena a linfa em direção a corrente sanguínea, ajuda o sistema imunológico, e o melhor, combate a celulite. Já fiz 10 sessões e vou partir para mais 10 pra ver se as coisas andam mais rápido. A fisioterapia continua, e falando nisso, já estou dirigindo de novo, mas claro, com direção hidráulica. Me darei ao luxo de um carro automático (que para nós, saí com desconto de uns 30%), um dia quando tiver dinheiro. Por enquanto é só. Esse ano ainda tem muita coisa pra acontecer... mas agora, sem tanto sofrimento. A parte mais pesada já passou, que foi a quimioterapia. Bola pra frente, que a vida continua, linda e bela.

sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

Férias!!!!!

Gente, estou curtindo umas férias, depois deste período que se passou, mas já eu volto para atualizar o blog (estou de férias até dele..rs). Estou na Bahia, vivendo dias perfeitos, cheios de sol, praia, alegria e muita diversão. Acho que mereço.... ou melhor, merecemos... eu, mamãe e papai que vivemos juntos estes últimos e difíceis momentos especiais, mais que nos serviram para mostrar como a vida é linda e como devemos aproveitá-la a cada momento. Digo momentos especiais, porque realmente, foram especiais. Mudaram nossas vidas... Claro! Faltaram algumas pessoas, como meu amorzinho (que está trabalhando - alguém tem que trabalhar!) e meus dois outros irmãos (só a Brenda que veio com a gente). Mas está valendo a pena!!! Obrigada Deus, por nos permitir isso!!!!

terça-feira, 5 de janeiro de 2010

Feliz 2010!!!


Demorei, mas tô aqui de novo... Essas festas de fim de ano me fizeram deixar o blog um pouco de lado. É reunião de família, de amigos, Natal, reveillon... é festa que não acaba mais. Em todas eu só queria comemorar. Na verdade, acho que vou comemorar o ano inteiro. Na hora da virada, chorei, sorri e agradeci a Deus por tudo que aprendi no ano que se passou e tudo que irá acontecer este ano. Estou cheia de expectativas para 2010, pois sei e sinto que muitas coisas boas irão acontecer na minha vida. Uma de minhas metas para este ano é tentar não me estressar à toa, correr de confusões e dores de cabeça, liberar mais meus sentimentos, levar uma vida mais saudável, curtir a vida ao máximo, da melhor forma possível, e não ter vergonha de ser feliz. Isso mesmo, meu lema este ano é: "Viver e não ter a vergonha de ser feliz, cantar, e cantar, e cantar, na certeza de ser um eterno aprendiz..." (Gonzaguinha).
Que 2010 traga muita paz, luz, sucesso, alegria, vibrações positivas, amor, dinheiro e principalmete muita saúde!!! Porque é a vida, é bonita, e é bonita!!!

"Nascer, morrer, renascer ainda e progredir continuamente, tal é a lei"
(Allan Kardec)