quarta-feira, 26 de outubro de 2011

Casei!

Nossa! Quanto tempo sem me expressar aqui no blog. Foram muitas emoções nos últimos meses. A correria do casamento foi grande, mas claro, valeu a pena! Valeu muito à pena! Casei com meu Xuxu dia 11 de setembro em uma cerimônia linda realizada por um irmão da minha igreja. Na verdade foi uma cerimônia ecumênica, pois meu Xuxu é católico e eu espírita. Foi a cerimônia ecumênica mais linda que eu já vi. Foi lindo! Momento mágico! Único! Inigualável! Não tenho palavras para descrever. Depois teve a festa. Curtimos muito, eu e Xuxu. Esperávamos por este momento há algum tempo e a comemoração teve um gostinho a mais. Um gostinho de VIDA! Isso mesmo. Estávamos comemorando a minha vida, a nossa vida, a vida que agora teremos daqui pra frente. Depois de tantas coisas que passamos, acredito que merecíamos comemorar este momento. Falo “passamos”, porque realmente “passamos” por tudo juntos. Em todos os momentos ele estava ao meu lado, ás vezes ouvindo minhas lamúrias, dores e lamentos; ás vezes ouvindo minhas risadas e loucuras; ás vezes aconselhando, às vezes dando o ombro pra eu chorar, outrora somente me oferecendo carinho ou sendo meu enfermeiro. Casei! Casei com o homem da minha vida. O homem que realmente eu quero passar todos os dias da minha vida aqui neste planeta (e fora dele ou em outro!)... E se for da vontade de Deus, que seja eternamente. Não sei descrever a minha alegria naquele dia, só sei que foi tudo como eu esperava, lindo! No meio das árvores e das flores do jardim, fomos presenteados por um padrinho especial: São Jorge! Salve Jorge! Fiquei mais feliz ainda com este presente. Sem palavras... Muitos parentes e amigos presentes. Todos especiais, cada um com uma história diferente em nossas vidas.
No outro dia, fomos para a lua-de-mel. Buenos Aires foi nosso destino. Cidade linda, romântica, clima frio e agradável, perfeito para uma lua-de-mel. Perfeito para a nossa lua-de-mel. Uma semana passou rápido, mas deu tempo de passearmos muito pela cidade e de conhecermos lugares inesquecíveis. Entre tangos, caminitos e puertos, namoramos a luz do luar em todas as esquinas, bares, restaurantes e praças da cidade. Que delícia de viagem! Pena que perdemos a metade dos nossos registros fotográficos por conta de um pânico no cartão de memória. Conselho: sempre vão baixando as fotos para não ter perigo de perdê-las. Não fizemos isto e... o final eu já contei. Chorei um dia quase inteiro por causa disso. Registro de alguns locais agora, só na memória interna dos nossos cérebros.
Agora, voltamos à vida normal. Em casa, armários pra comprar, presentes pra arrumar, coisas pra limpar, lavar, cachorros pra cuidar. No escritório, negócios para iniciar, milhões de coisas para fazer e realizar. Na saúde, novos exames me aguardam para o controle, agora de seis em seis meses. Ah... e ainda tenho uma mama para terminar. Próxima etapa é a projeção do mamilo com uma “bolinha” de silicone e depois a tatuagem da aréola. E assim eu espero que continue, sem maiores surpresas.
Vou terminando com algumas fotos do nosso casamento. Quem quiser ver mais foto do casório é só entrar no site do fotógrafo: http://personalizado.msisites.com.br/marcelobotelho/ (Procurar por Amanda e Fábio). Só postei uma foto da viagem, da Casa Rosada (que já é rosa) e é uma homenagem (minha) ao nosso Outubro Rosa! Depois posto mais fotos da nossa lua-de-mel.

quinta-feira, 18 de agosto de 2011

Entrevista - Site Saúde Plena

Queridas e queridos, segue link de uma entrevista (comigo!) que saiu no site Saúde Plena, hospedado no portal de notícias CorreioWeb sobre o câncer de mama:

http://www.divirta-se.uai.com.br/html/sessao_45/2011/08/10/ficha_saudeplena_saude/id_sessao=45&id_noticia=42418/ficha_saudeplena_saude.shtml


Muita luz, saúde e paz para todos!

terça-feira, 16 de agosto de 2011

Na correria...



Este momento da minha vida se chama: correria! Correria com a casa, com o casamento (mês que vem... coração está acelerando...), escritório, mamilo... Loucura total! Mas estou adorando! É uma correria boa! Graças a Deus! Vim dar notícias e dizer que estou bem, mas com o tempo corrido não tenho conseguido parar para escrever no blog, responder alguns e-mails (ás vezes demoro, mas respondo todos!), ler os posts das amigas... Acho que depois do casório vou conseguir voltar a rotina normalmente. São muitos detalhes, muitas coisas pra resolver. Estou organizando cada detalhe com muito carinho e muito amor, afinal, é um momento muito especial. Vou casar com meu amor e selar com a benção de Deus nossa união tão esperada desde aquele dia no hospital em que ele me pediu em casamento. Quero que saia tudo lindo e perfeito! Nós merecemos! Vamos curtir este dia muuuito, aliás, só este não, será só o primeiro de muitos dias juntos, se Deus quiser. Meu amor, lindo, esteve e está ao meu lado sempre, me aconselhando, apoiando, me dando carinho, amor e atenção. Estou muito feliz e tenho certeza que seremos muito felizes!

Sobre o mamilo.... nossa! Como demora a cicatrização! Até hoje ainda tenho que trocar o curativo todo dia. Primeiro ia ao médico toda semana, ele trocava o curativo; depois passei a trocar o curativo dia sim, dia não - isto tudo sem poder molhar (era um saco pra tomar banho!); e agora posso tirar o curativo só para tomar banho. Semana que vem volto ao médico, acho que já está bem mais cicatrizado e deveremos, talvez, parar de usar o curativo com Dersane. Somente depois do casamento (e lua-de-mel!) terminaremos o processo de reconstrução da mama, na qual faremos mais uma etapa de cirurgia (simples) para colocar uma bolinha de silicone para projeção do mamilo e depois de algum tempo, provavelmente um mês, será a vez da aréola (tatuagem). E o dedão do pé? rs.... Demorou praticamente um mês para cicatrizar (a pele é muito grossa), mas agora está lindinho de novo. Quase não dá pra perceber de onde o médico tirou.


Bom, acho que estas são as novidades... Talvez, só volte aqui após o casório.

Obs: a fotinha é do chá de panela.



Luz, paz e saúde para todos e todas!




I'm happy!

sexta-feira, 24 de junho de 2011

E a vida continua....

Graças a Deus! Amanhã completo mais uma primavera. Esta época me lembra muitas coisas. Há exatos dois anos eu estava começando a passar por uma etapa muito importante da minha vida. Ia começar o turbilhão de médicos, consultas, exames, cirurgias, etc. Mas no meio dessa jornada toda eu sempre acreditei que iria superar aquela loucura de sentimentos e emoções. Os aspectos físico e psicológico ficaram alterados por algum tempo, pois foram dois anos intensos, anos também de muitas reflexões. Mas eu sempre acreditei (e disse) que iria passar. E passou... Cá estou eu, arrumando minha casa nova, organizando o casamento (em setembro), quase abrindo meu escritório (de consultoria ambiental, com minha irmã e meu cunhado), e ainda tem mais: me recuperando da terceira parte da reconstrução da mama. Fiz a cirurgia reparatória na última terça-feira, na qual foi reconstituído o mamilo. Desta vez, procurei não colocar tanta expectativa como quando coloquei as próteses. Falando nelas, estão muito mais bonitas agora. Quase simétricas. Ninguém tem os seios do mesmo tamanho mesmo. Minha reconstrução ficou muito bem feita. Desde que entrei nesse mundo de câncer já vi muita mama reconstruída, não reconstruída, todos os tipos. Aliás, é normal entre nós já chegar perguntando: quando foi o seu? Foi onde? Fez mastectomia total, quadranctomia? Quantas químios? E rádios? E cirurgias? Olha o meu como ficou? Deixa eu ver o seu? São estas e mais outras as frases de praxe. Mas voltando ao assunto, vou dar um conselho: é bom a gente não colocar tanta expectativa nas reconstruções, pode ficar lindo, mas nunca será o mesmo. Claro! É melhor encarar os fatos do que sofrer com eles. Temos que voltar a aprender a amar e aceitar nosso corpo como ele é hoje. Não reclamo. Mas ainda estou aprendendo a me aceitar. Não é fácil, não é, meninas? A cirurgia foi simples e rápida. A anestesia foi local com sedação. Saí no mesmo dia do hospital, dormi o resto do dia todo. O mamilo só vou poder ver na próxima segunda-feira com o médico. Está tampado e não pode molhar. Sabe como foi feito? Com um pedaçinho do meu dedão do pé! rs... Que coisa de louco! Tenho um bico de peito do dedão do meu pé. kkkkkkk! Antes disso meu médico pensou em tirar dos lóbulos das minhas orelhas (era o que eu queria, mas eram pequenos), do outro mamilo (não quisemos, porque penso em amamentar, ia ficar muito pequeno), da língua (nem pensar!), etc. Acabou sendo do dedão do pé! Estou curiosa, mas não ansiosa. Estou trabalhando a ansiedade. Daqui a um mês vai ser a vez da aréola.

E a vida continua, graças a Deus. Amanhã é meu aniversário, vou comemorar a vida, sem festa - pois não posso pisar no chão por causa dos pontos no dedão -, mas com muita alegria e positividade! Estou muito feliz! O que passou, agora já são lembranças! Para as minhas amigas (blogueiras ou não) que estão passando por esse turbilhão que comentei lá em cima, tenham paciência, porque vai passar! Acreditem!



P.S.: Como todo mundo gosta de fotos, vou postar uma fotinha em que eu e meu Xuxu fomos padrinhos no casamento dos nossos primos (Mari e Cris) pra vocês poderem ver como estão grandes meus cabelos. Fiz até umas luzes pra clarear!

terça-feira, 3 de maio de 2011

A dor e o sofrimento II

Obrigada pela força, meninas! Já me sinto bem novamente. Tirei os pontos ontem, meus seios ainda estão doloridos, mas já gosto muito mais da aparência deles. Me desesperei precipitadamente quando os vi após a cirurgia. Estavam inchados e não dava para ter noção de como ficariam. Paciência é a palavra-chave. E a frase é esta: "a dor a gente não pode evitar, mas o sofrimento a gente pode". Podemos escolher sofrer (e tudo fica pior ainda) ou superar cada momento com força e fé (e bola pra frente!). Escolhi seguir em frente!



Inclusive vou fazer um Ctrl-C/Ctrl-V em um trecho de um texto que escrevi no ano passado sobre a dor e o sofrimento. Reli e pensei a respeito, mais uma vez.


"...nem tudo são flores e passamos por altos e baixos. Uma hora você se cansa e cai na real do que está te acontecendo. Há dias em que você quer sorrir, há dias em que você quer chorar... isso é normal. São muitos acontecimentos que mudam sua vida e há dias que não nos achamos preparados para lidar com eles. O que fazer? Rezar, conversar com Deus, meditar, ler bons livros, pensar sempre no lado positivo e agradecer. Foi o que fiz e o baixo-astral foi embora. E não quero mais deixá-lo tomar conta da minha cabeça. Temos sempre que seguir em frente de cabeça erguida. Afinal, tudo isso são provas da vida. Provas que nos fazem fortalecer, evoluir, crescer como espírito e ser humano. Reclamamos muitas vezes, quando estamos sentindo dor, seja ela qual for. Mas a dor nós não podemos escolher por senti-la; o sofrimento sim, este podemos escolher senti-lo. Minha mãe estava lendo sobre isso em uma revista e veio com esta frase: "A dor faz parte da vida, o sofrimento é opcional" (autor desconhecido). É a mais pura verdade. Quando nos revoltamos com a dor, quando não aceitamos, o sofrimento aumenta e tudo vai piorando. É nessa hora que devemos refletir e tentar compreender que estamos passando por isso simplesmente para amadurecermos espiritualmente. Amadurecendo e tendo atitudes positivas, evoluímos. Devemos agradecer a Deus por ter nos dado mais esta oportunidade. Porque, com a doença, podemos progredir, crescer, evoluir. Continuo aprendendo a cada dia. Agradeço a Deus pela minha vida e por tudo que eu tenho aprendido durante esta jornada. Quero continuar rezando, lendo, meditando, agradecendo, para estar sempre em contato com Deus. Estamos aqui para isso, para aprender e evoluir. Por que não fazer isso da melhor forma? Viver cada segundo com alegria e positividade é o melhor que temos a fazer a nós mesmos. Vou terminar com uma frase que li no livro "Em missão de socorro", de Vera Lúcia Marinzeck Carvalho, que me inspirou para escrever hoje: "Quando se sofre, pode-se ser tentado a revoltar-se contra este fato, isto é humano; vencer esta revolta e saber sofrer é sábio e ser derrotado por ele é lastimável...".




Repito o que disse e espero não esquecer mais!

segunda-feira, 25 de abril de 2011

Lar doce lar!

Obrigada pelas mensagens positivas! Vocês nem imaginam como elas ajudam. Realmente fiquei meio deprê nesses últimos dias, mas já me encontro bem melhor, com força total, pronta pra encarar qualquer coisa (assim acredito!). É que tem hora que cansam essas surpresinhas. A gente sempre imagina que vai correr tudo bem, daí quando ocorre qualquer coisa diferente, ás vezes bate um desespero. Chorei mesmo, até cansar, mas já passou (tá, Meg? rs...). Fiquei cinco dias internada e quarta-feira passada recebi a boa notícia de que poderia ir para casa e tomar o resto das medicações todos dias no hospital até completar os 14 dias de antibiótico. Quase tive que ficar lá durante esses 14 dias. Graças a Deus, pude ir pra casa. Saí de lá já na quinta, 1h da madruga, depois da última medicação. Aaaffff! No hospital até sem dor, a gente sempre acha alguma coisa doendo. É bem cansativo ficar lá. A gente não dorme direito, medicação toda hora, um saco! Mas acho que reclamei demais. Tinha um senhor que estava lá com o filho há 65 dias por conta de um acidente. Eu só estava há 5 e fiquei achando ruim. Reclamei de barriga cheia. Ridículo! Depois que assisti o jornal da cidade hoje, fiquei pior ainda vendo as pessoas dormindo nos corredores dos hospitais públicos, sentindo dores, precisando ser operadas.... e o governo ainda faz festa para comemorar (gastando milhões) o aniversário da cidade sendo que tem vários filhos da mesma, morrendo em filas de hospitais. O povo quer saúde e não festa. E festejar o quê? Um absurdo! Mas voltando a minha pessoa, me senti ridícula por ter chorado tanto. Contudo, não me esquecia de agradecer. Graças a Deus tudo correu bem, fui medicada, meu médico é um anjo, deu toda assistência, estava em um ótimo hospital sendo acompanhada direitinho. Mas ninguém gosta de sofrer. Me senti um pouco esgotada, minhas energias não estavam muito boas. Também só foi chegar em casa que tudo começou a melhorar. Mandei embora todas essas energias ruins e já estou me sentindo equilibrada de novo.



Como expliquei antes, ainda tenho que ir todos os dias a uma clínica tomar antibiótico na veia. Sábado acaba e segunda que vem tiro os pontos. Está tudo caminhando bem, só as minhas veias que ás vezes não ajudam. Tem dia que é difícil achar uma, fura ali, fura aqui. Depois das químios e tantos outros medicamentos, elas estão meio fracotinhas. Como fiz esvaziamento axilar do lado direito, só posso usar o braço esquerdo para tomar medicações, aferir pressão, etc. O que dificulta ainda mais. O que fazer para ajudar? Compressas com água morna nas veias, tomar muita água e se alimentar bem.



Estou me cuidando, pois não quero saber de bactérias por um bom tempo, ou melhor, nunca mais. Longe de mim, danadinhas!



P.S.: Tican, amei o "meu" texto. Um beijo!








segunda-feira, 18 de abril de 2011

Cirurgia

Bem, a cirurgia na segunda-feira passada correu bem, dormi no hospital, saí no outro dia e fui pra casa. Ainda no hospital vi meus seios e confesso que em um primeiro momento não gostei, mas vou explicar por quê. Primeiro, está tudo inchado, então não dá pra ter noção de como ficará. O esquerdo eu amei, está lindo! Mas o direito.... fiquei assustada porque ele parecia menor e eu achei que já estaria com o mamilo. Entendi errado e achei que o procedimento poderia ser feito na mesma cirurgia. Nada disso. Só daqui a alguns meses. Fiquei frustrada por conta disso e chorei horrores. Depois que conversei com meu médico na quinta, fiquei mais calma e entendi mais uma vez que cada coisa tem seu tempo e que é preciso ter paciência. A mama direita só não está melhor por conta da radioterapia, que ocasiona alguns danos e limita a pele. As dores que senti depois foram por conta do dreno, que só pude tirar na quinta-feira. Se fosse só isso estaria tudo bem... O pior é que ainda na quarta-feira comecei a sentir febre e a mama direita ("a problemática") estava bastante avermelhada. Quando fui ao médico tirar o dreno, ele trocou o antibiótico por outro mais forte e fui pra casa. Só que a febre persistiu e na sexta piorou. Mamãe ligou para meu médico e ele pediu para que voltássemos ao hospital. Fui para o pronto-socorro e mais tarde acabei internada. O antibiótico foi trocado por um mais potente, intravenoso. Fiz vários exames e agora estou aqui tomando vários remedinhos na veia e aguardando o retorno do médico infectologista para dizer até quando terei que ficar por aqui. A boa notícia é que desde sábado não tenho mais febre, minha mama está bem melhor e estou me sentindo bem. Tudo isso é sinal de que meu corpo está reagindo bem ao tratamento. Se não fosse assim, talvez eu tivesse que retirar a prótese direita para tratar a infecção, o que para mim seria terrível. Graças a Deus, tudo parece correr bem. Depois darei mais notícias.

terça-feira, 5 de abril de 2011

Reconstrução da mama


Como cheguei a esta etapa, vamos falar de reconstrução mamária. Não sou especialista, mas posso falar um pouquinho sobre o assunto, afinal, esse agora também é meu mundo. Pelo que sei, a reconstrução da mama pode ser feita durante a cirurgia de mastectomia (reconstrução imediata) ou depois. Esse “depois” pode demorar meses ou anos, tudo depende do tipo de tratamento - ou do Sistema Único de Saúde - SUS, que na maioria das vezes deixa as pacientes esperando por anos para uma reconstrução - o que nos indigna muito! Além de perder a mama, situação que mexe no íntimo da alma feminina, muitas vezes a mulher perde os cabelos, engorda, etc., afetando diretamente sua autoestima. Para recuperá-la, a reconstrução mamária é de uma importância tremenda. Só quem passa sabe o significado do que estou falando. Não é fácil ouvir que você terá que retirar uma mama, ou as duas, que perderá os cabelos, ou que ficará sem o mamilo. Para mim este último foi pior. Doeu lá no fundo quando ouvi da boca do médico que tinha que tirar o mamilo, pois as microcalcificações estavam caminhando pra lá. Pois bem, doeu na hora, me lembro disso na maioria das vezes em que me vejo no espelho, mas já foi superado. E com a segunda etapa da reconstrução, estará enterrado nas minhas mais profundas lembranças. Como já disse inúmeras vezes, gosto de pensar só no lado bom das coisas, ou pelo menos tento...rs.... ninguém é de ferro! Esses dias, quando fui ao meu médico, ele me disse que ia participar de um mutirão de reconstrução mamária (que ocorreu no dia 30 no Distrito Federal), no qual cerca de 120 médicos (além de outros profissionais) realizaram reconstruções em cerca de 60 mulheres. Que gesto lindo! Eles não podem imaginar o bem que fizeram a essas mulheres. Devolveram a elas a autoestima e parte da identidade feminina. Que Deus os abençõe sempre!


Existem alguns tipos de reconstrução, como a reconstrução com retalhos da musculatura dorsal, reconstrução com retalhos da musculatura abdominal (ou retalho TRAM) e a reconstrução com expansor tecidual (ou de pele), que são as mais comuns; este último é o meu caso. Os tipos de reconstrução também dependem de paciente para paciente, ou seja, cada caso é um caso e cada um tem suas peculiaridades. Eu pude colocar o expansor ainda na mastectomia, pois não tive que retirar a pele, nem o músculo peitoral, e minha mama era de pequena a média. Agora, na segunda etapa, trocarei o expansor por uma prótese definitiva, e, claro, colocarei na outra também, para não acontecer de eu estar velhinha com um peito murcho e outro durinho...rs. O mamilo é reconstruído na mesma cirurgia, com a pele da mama mesmo. Depois disso (mais ou menos um mês), ainda terá uma terceira etapa, quando será reconstruída a auréola com tatuagem (pode ser feita também de outras formas).


O importante é que daqui a poucos dias terei “peicholas” novinhas em folha!!! Uhuuu! Sempre me lembro que não posso reclamar, e não posso mesmo. Graças a Deus, tudo tem dado certo. Tenho convênio, meus médicos são ótimos, fiz parte da reconstrução na própria cirurgia de mastectomia, meus exames estão perfeitos, minha família, meu amor e meus amigos sempre me apoiaram, tenho lindos bichinhos de estimação que me dão muita alegria e tenho saúde! Só tenho a agradecer e não me dou o direito de reclamar. Claro, como já disse, ninguém é de ferro, já chorei, já gritei, já esperneei, mas sempre tento me lembrar que estou viva e feliz, e é isso é o que importa.

terça-feira, 29 de março de 2011

José Alencar


Hoje o céu está em festa, um grande guerreiro de foi... José Alencar. Homem admirável, íntegro, honesto, que lutou durante 14 anos contra um câncer, mas sempre otimista e com um sorriso lindo no rosto. Exemplo para todos nós!Parabéns José Alencar, pela sua força e alegria!

segunda-feira, 28 de março de 2011

Cirurgia marcada!

Nossa, nem acredito! Estou muuuuito feliz! Minha cirugia de reconstrução definitiva da mama (segunda etapa) está marcada para o dia 11. Vou tirar o expansor e colocar a prótese nas duas mamas. Silicone nelas!!! rs....Depois desse dia, mais uma etapa será concluída... e se Deus quiser, para sempre!


Uhuuuuuuuuuuuuuuuu!!!!!

terça-feira, 22 de março de 2011

Campinas recebe evento em prol do CA de mama

Projeto You Make It volta a Campinas para evento em parceria com o Hospital da Mulher – CAISM/Unicamp

Women’s Fair acontecerá no dia 2 de abril e tem como objetivos despertar a consciência para o câncer de mama, multiplicar informações e aumentar o voluntariado do CAISM.

Com o intuito de chamar a atenção das mulheres para a importância do diagnóstico precoce do câncer de mama, a agência Conee Marketing de Causa e Eventos, idealizadora do projeto You Make It, firma parceria com o Hospital da Mulher Prof. Dr. José Aristodemo Pinotti – CAISM/Unicamp e realiza, em Campinas, o evento Women’s Fair.

A principal proposta do You Make It é despertar uma nova consciência a respeito do ser humano, independente de raça, crença ou religião. A partir disso, nasceu a Women’s Fair Lifestyle & Store – A Feira da Mulher – para conscientizar a respeito da importância do diagnóstico precoce, debater sobre cuidados e acompanhamento, promovendo a socialização das mulheres com o tema, por meio de palestras e debates.

O evento também pretende chamar a atenção de mulheres formadoras de opinião para o câncer de mama, importante questão de saúde pública. Além disso, visa ampliar o trabalho voluntário no CAISM que, atualmente, conta com a ajuda de 25 mulheres voluntárias. As atividades consistem na produção de artesanato, bojos de sutiãs para mulheres mastectomizadas e arrecadação de recursos para pacientes carentes, além de trabalhos de apoio espiritual nas enfermarias.

“O You Make It aposta em causas sérias nas quais a conscientização e a cultura são fatores indispensáveis para que as pessoas sejam capazes de compreender, criticar e melhorar a vida”, ressalta Renato Rosa, idealizador e diretor de Eventos de Causa da agência Conee.

Durante o evento, profissionais do CAISM conversarão em formato de “talk show” com as convidadas em plenária exclusiva. Para conduzir o bate-papo, o evento contará com a presença do médico oncologista Giuliano Mendes Duarte e a ex-paciente e voluntária da instituição Nely Bolliger Lane. Temas importantes como prevenção, autoconhecimento e diagnóstico precoce, serão abordados de forma simples e esclarecedora. Ao todo serão três sessões.

O Women’s Fair, que acontecerá na Vert Eventos, reunirá mais de 30 estandes de diversos segmentos como carros, jóias, cosméticos, acessórios, calçados, decoração, roupas, além de serviços como massagem, SPA, cabeleireiro, alimentação etc. Kia Motors, o restaurante Outback e marcas como Annick, Fit Company e Mary Key já garantiram espaço no evento. A estimativa de público é de 700 mulheres num único dia. Parte da renda das vendas será revertida para o CAISM.

Os ingressos, no valor de R$ 15, podem ser adquiridos no Ventura Mall e na AMZ – Relações Públicas e Eventos, e dão direito ao acesso à feira e participação nas palestras – as inscrições devem ser feitas com 30 minutos de antecedência.

Os eventos do You Make It estão sempre relacionados a uma causa nobre e a instituições sérias. No ano passado, também em Campinas, o evento realizado foi o ‘Desfile de Moda Inclusiva’, em prol da inclusão social do deficiente físico por meio da moda. O objetivo era despertar esse mercado para o atendimento às necessidades dessas pessoas.

Câncer de Mama
Problema de saúde frequente entre as mulheres, o câncer de mama tem aumentado a cada ano sua incidência em todas as faixas etárias. A longevidade, a diminuição do número de filhos e a falta de amamentação são alguns dos fatores que contribuíram para que o câncer de mama representasse mais de 40% dos casos de câncer entre as mulheres brasileiras, em 2010.

O CAISM é um dos poucos hospitais públicos brasileiros no qual as mulheres podem fazer tratamento completo contra a doença. Além disso, foi o primeiro hospital brasileiro a realizar cirurgia de reconstrução mamária imediata.

“Com o diagnóstico precoce da doença, o índice de cura pode chegar a 100%, caindo a menos de 20%, quando a doença é descoberta em estágios mais avançados”, afirma Ângela Maria Bacha, diretora associada do CAISM.

Os programas de controle do câncer de mama não reduzem a incidência da doença, mas permitem um diagnóstico precoce, com mais chance de cura. “Não basta só a auto-palpação. É bastante útil, mas a avaliação médica periódica é obrigatória, com exames por imagem que permitem visualizar as lesões mais facilmente”, complementa Dra. Ângela.

Serviço:
Women’s Fair – Lifestyle & Store
Data e horário: 02/04, das 14h às 20h
Local: Vert Eventos – R. Frei Salomão, 231 - Sousas
Pontos de Vendas: Ventura Mall, AMZ Relações Públicas
Telefone para contato: (19) 3295-7000.

sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

Enchendo o expansor

Fonte: cirurgiaoncoplastica.blogspot.com

Gente, que felicidade quando encontro o blog cheio de recadinhos e depoimentos. Aliás, quero agradecer as várias dicas sobre as sombrancelhas que serão muito úteis para mim e com certeza para muitas de nossas "amigas do peito". Gostaria de pedir para a minha já amiga Meg, que deixe seu e-mail ou me envie um para que a gente possa se comunicar melhor. Que coincidência boa, hein Meg? Gostaria de dizer também que ficaria muito feliz em ajudar e conversar com as pessoas que deixarem seus e-mails, como uma lindinha de 20 anos que está passando por um câncer no instestino e deixou um depoimento muito comovente no dia 22.02. Sei que tem gente que prefere não se identificar, mas se preferirem me enviem um e-mail (amanda.bio@gmail.com) para que possamos trocar nossas angústias, emoções, felicidades, etc.

Nessas últimas três semanas, enchi três vezes o expansor. Como já havia enchido algumas vezes antes da radioterapia, faltavam poucos ml para encher os 600ml do meu expansor. Os dias de encher o expansor sempre são muito chatos, pois é muito dolorido esse procedimento. Geralmente, fico o dia todo sentindo dor e não consigo fazer mais nada. Parece que o peito vai explodir e as costas doem. A única vez que não doeu tanto, foi quando enchi somente 30ml. Ontem foi a última expansão e graças a Deus coloquei os últimos 50ml. Isso significa que estou mais perto da minha cirurgia de reconstrução definitiva da mama, em que vou passar para a segunda etapa. Uhuuuuuu!!!! Minha cirurgia será daqui um mês, ainda sem data marcada, mas provavelmente no fim de março. Dia 21.03 tenho consulta com o cirurgião plástico para os últimos detalhes, como tamanho da prótese, dia da cirugia, etc. Até lá, já tenho que fazer exames cardiológicos e risco cirúrgico, além de mais uma rodada de exames de controle que minha oncologista deve passar, pois já se passaram três meses da última. Vamos checar tudo antes da cirurgia, para que tudo ocorra bem sem problema algum.

Paz, luz e muita saúde!

domingo, 30 de janeiro de 2011

Punção, cabelo e sobrancelhas.

2011, ano novo, vida nova, peito novo (se Deus quiser, logo, logo....), muitas expectativas, positividade, casamento à vista, cabelo crescendo, corpo normal (consegui emagrecer os 10 kg.... uhuuuuuu!!!!!! Depois de um ano....), feliz da vida e cheeeeeeeeeia de viiiidaaaaaaa!!!!!! Deu pra perceber como começou o ano. Realmente estou muito ansiosa pelo que vem pela frente. Tudo bem que esses dias levei um sustinho, leve, mas quem passou por um câncer seeeempre vai ficar apreensiva com qualquer suspeita. Acontece que nessas últimas semanas fui ao mastologista, que era o único médico que eu não havia ido ainda, e ele me pediu mamografia e ecografia, exames que eu não havia feito, pois acreditei (e assim fui orientada) que a ressonância das mamas (e demais exames) eram suficientes para detectar qualquer malignidade suspeita. Não é bem assim. Além da ressonância (e de vários outos exames...), a mamografia e a ecografia das mamas são os exames principais e não devem deixar de ser realizados, pois muitas vezes o que um vê, o outro pode não ver. Por isso, como disse meu médico, todos são necessários ou, quanto mais verificado, melhor. Concordo plenamente. Bom, sem mais enrolação, aconteceu que foi detectado um nódulo no seio esquerdo, esquecido lá nas primeiras ecografias, a primeira vez que foi visto. Andou sumido nos outros exames e resolveu aparecer novamente. Tive que fazer uma punção, exame simples guiado por ultrassonografia, em que é introduzida uma agulha fina para recolher amostras do nódulo suspeito. Incomoda um pouquinho, mas comparado ao que já passei foi fichinha. Graças a Deus, benigno! Era a única palavra que eu queria ouvir da boca do meu médico. Agora é só acompanhar: daqui a seis meses outra mamografia e outra ecografia. Os outros exames de rotina serão feitos em março. E assim vai, exames, exames, exames. Confesso que no fundo senti um medinho de acontecer tudo de novo. Não quis contar para ninguém para não dar ênfase. Ufa! Não foi nada! Mas cada resultado é uma conquista. Agradeço a Deus e continuo minha jornada. Em busca da felicidade e da vidaaaaa!

Abaixo uma fotinha só pra mostrar o cabelinho, está de escovinha, pois na verdade ele está todo onduladinho (é... está crescendo diferente, mais ondulado, mas acho que, quando pesar e crescer mais, muda), estou achando diferente e adorando ver as mudanças. É claro que essa fase, em que os fios ainda não cresceram muito, é difícil, tem que domar a cabeleira com faixas, lenços, florzinhas, diademas, etc. Depois posto mais uma foto com ele natural:


Queria iniciar uma discussão sobre as sobrancelhas.... Alguém reparou como as minhas estão ralinhas? Pois é. Não cresceram como antes. Estão falhas. Não sei o que faço para que elas voltem ao normal. Estou reforçando com lápis 6B (Faber-Castell), disfarça um pouco. Mas não estou feliz com elas. Preciso de dicas....
No mais, quero agradecer a todas minhas queridas e meus queridos seguidores (110! Valeu, galera! Sejam bem-vindos e sintam-se à vontade sempre!) e principalmente a minhas lindas companheiras de blog pelos recadinhos e carinhos. Um beijo enorme no coração de cada uma (um).